Violência na mídia brasileira: efeitos e alternativas para mudar esse quadro

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “Violência na mídia brasileira: efeitos e alternativas para mudar esse quadro”, apresentando proposta de intervenção que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.


Texto 1:


Embora uma pequena porcentagem de programas da mídia seja produzida com o objetivo de educação, esse não é o objetivo da grande maioria. Para a maioria dos programas, o objetivo é gerar lucros. A forma mais eficaz de prender a atenção de alguém é estimular uma resposta. Consequentemente, os profissionais da mídia tentam incitar emoções fortes nos telespectadores para obter sua atenção. E certas coisas provocam isso de forma mais eficaz do que outras. No topo da lista está a violência.


Disponível em: https://ambitojuridico.com.br/edicoes/revista-93/violencia-na-midia-prevencao-e-reducao/


Texto 2:


O Senado vai analisar uma sugestão legislativa (SUG 24/2020) que proíbe a exibição de programas policiais “sensacionalistas” pela televisão aberta.

A ideia foi encaminhada por meio do portal e-Cidadania e enviada à Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH). Apresentada pelo internauta Jonas Rafael Rossato, a sugestão recebeu 22.038 mil assinaturas no período de três meses.

O objetivo da medida é proibir a exibição desse tipo de programa das 6h às 22h. A sugestão ressalta que as empresas de televisão podem elaborar produções com outros conteúdos, mas para aumentar audiência dos telespectadores insistem em “recorrer a programas que espalham notícias violentas sob pretexto de informar”, justifica Jonas.

De acordo com o autor, os apresentadores de programas sensacionalistas propagam discursos especulativos e agressivos.

“A exibição de programas violentos no horário livre faz com que crianças e adolescentes possam assistir a acidentes, assassinatos, sangue, perseguições e diversas outras atitudes consideradas proibidas pelo Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA”, destaca Rossato em seu texto.


Disponível em: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2020/09/18/proposta-preve-a-proibicao-de-programa-policial-em-tv-aberta-das-6h-as-22h


Texto 3:




82 visualizações0 comentário