O papel da música na sociedade contemporânea

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija um texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “O papel da música na sociedade brasileira contemporânea.”, apresentando proposta de intervenção que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.


Texto 1:


A música do Brasil tem a mesma base de que foi caracterizada a formação de seu povo, ou seja, a mistura e integração de diferentes etnias, os europeus, africanos e indígenas. Cada um desses povos já trazia sua própria cultura musical e aqui fundiram os elementos musicais trazidos pelos colonizadores portugueses, os cantos dos negros escravos da África e a música dos indígenas que já habitavam o Brasil. As influências musicais de outras ricas culturas foram se somando e se multiplicado no decorrer da história, formando aquilo que reconhecemos hoje como “Música Brasileira”, que tem uma característica própria e autêntica, mas também é fruto de grande variedade de influências e fusões de estilos musicais pré-existentes.


Disponível em: https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/educacao/a-musica-no-brasil/53455


Texto 2:


O mercado fonográfico do Brasil teve notável alta em ano de pandemia. Puxada pelo streaming, a renda com músicas gravadas no país subiu 24,5%. A alta mundial foi de 7,4%. Os dados foram divulgados pela Federação Internacional da Indústria Fonográfica (IFPI, na sigla em inglês).


Disponível em: https://g1.globo.com/pop-arte/musica/noticia/2021/03/24/mercado-fonografico-do-brasil-dispara-na-pandemia-relatorio-global-destaca-baroes-da-pisadinha.ghtml


Texto 3:

Quem paga a conta dos músicos? Aplausos, visualizações e curtidas virtuais, via de regra, não enchem os bolsos do artista nem de toda a cadeia produtiva que está por trás de uma canção gravada, composta ou apresentada (destaquemos aqui a extensa rede de produtores, instrumentistas, compositores, técnicos de som etc.). Embora, em editais e em negociações com casas de espetáculos, o alcance virtual de determinado artista tem contado como um importante argumento para sua contratação, na nova configuração da produção musical independente, é nos shows que a grande maioria dos artistas ganha o seu pão, como o sociólogo Thiago Galletta já apontou em "Cena Musical Paulistana dos Anos 2000: a Música 'Brasileira' Pós-Internet'" (2015).


Disponível em: https://medium.com/revista-bravo/a-valoriza%C3%A7%C3%A3o-da-m%C3%BAsica-e-a-desvaloriza%C3%A7%C3%A3o-do-m%C3%BAsico-c5d409008fd3





257 visualizações0 comentário