O acesso ao lazer nas periferias brasileiras

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija um texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “O acesso ao lazer nas periferias brasileiras”, apresentando proposta de intervenção que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.


Texto 1:

“Lazer é um conjunto de ocupações às quais o indivíduo pode entregar-se de livre vontade, seja para repousar, seja para divertir-se, recrear-se e entreter-se, ou ainda, para desenvolver sua informação ou formação desinteressada, sua participação social voluntária ou sua livre capacidade criadora após livrar-se ou desembaraçar-se das obrigações profissionais, familiares e sociais.”


Fonte: DUMAZEDIER, Joffre. Lazer e cultura popular. São Paulo: Perspectiva, 1976.


Texto 2:

O desequilíbrio no acesso aos bens culturais e de lazer mostra mais uma face da desigualdade social da cidade. Estamos diante de uma questão de saúde que requer políticas públicas. Investir em equipamentos que promovam cultura, esporte e lazer pode contribuir na redução de gastos considerando que tais atividades previnem doenças.

As pessoas que não possuem outra atividade além do trabalho estão propensas a desenvolver crises de ansiedade e quadros depressivos.


Disponível em: https://espacodemocratico.org.br/nao-deixe-de-ler/falta-de-equipamento-de-lazer-prejudica-morador-da-periferia-de-sp/


Texto 3:

Já faz mais de uma década que deixei o bairro cinza e sem graça da região metropolitana de São Paulo onde vivi toda a minha adolescência. Ali as opções de lazer eram, e continuando sendo, ficar em casa vendo televisão ou ficar na calçada conversando com os amigos. Todas as vezes que volto ao meu endereço de juventude sinto uma mistura de tristeza e de pena daqueles que, ao contrário de mim, seguem carentes de cultura e lazer.

Não há praça, quadra esportiva, biblioteca, centro cultural, cinema, teatro ou nada que o valha. Não há nem mesmo um posto de gasolina com loja de conveniência, o que em muitos bairros afastados do centro, mesmo naqueles não necessariamente considerados pobres, transformou-se em única opção contra o tédio.


Disponível em: https://blogs.iadb.org/brasil/pt-br/rolezinho-falta-enfatizar-o-obvio/


Texto 4:


Não é de hoje que a favela é explorada por uma minoria e que os pobres arrecadam a maior parte dos impostos e recebem a menor parcela de investimentos do Estado. É evidente a diferença com a qual são tratadas áreas mais periféricas em relação aos bairros considerados “nobres”. Falta infraestrutura, assistência, saneamento, ações para a infância e juventude, o que contribui para um processo de apagamento da história de um povo, além de ir contra a Constituição Federal.

Disponível em: https://www.anf.org.br/espacos-publicos-de-lazer-e-esporte-o-abismo-entre-a-favela-e-a-area-nobre/


184 visualizações0 comentário