Carta pessoal – Lives beneficentes na pandemia



Prezado(a) candidato(a),


Sabe-se que a pandemia do COVID-19 afetou a vida de todo mundo, em diversos aspectos, sejam eles físicos, mentais, econômicos e políticos. A conscientização com o cuidado com a saúde preventiva quanto a esse problema é uma necessidade. Assim, com base em suas leituras e experiências de vida, bem como a partir dos textos motivadores 1, 2 e 3 dispostos a seguir, escolha UMA das propostas abaixo apresentadas e componha seu texto.


Proposta 1: Redija uma carta pessoal para seu cantor preferido que está fazendo lives beneficentes, falando sobre a necessidade de doações na instituição de caridade na qual você trabalha. Você é um dos responsáveis por arrecadar as doações. Fale para o cantor sobre a importância que a instituição tem para sua cidade e suas principais necessidades neste momento de pandemia. No final, não se esqueça de pedir o retorno e salientar que toda contribuição será bem-vinda e fundamental para a continuidade deste trabalho.


Na quarentena, o mundo virou uma live



Lives levantaram R$ 17,6 milhões em doações durante a pandemia Já foram realizados mais de 120 shows online com renda revertida a organizações de combate à Covid-19. A mobilização de artistas para minimizar os impactos da covid-19 rendeu R$ 17,6 milhões em doações angariadas durante 120 apresentações virtuais. A conta foi fechada pela Associação Brasileira de Captação de Recursos (ABCR), levando em consideração as apresentações realizadas. Segundo Márcia Woods, presidente da ABCR, as lives são uma alternativa aos eventos de captação de recursos, que em razão do isolamento social não podem ser presenciais. Shows em plataformas digitais se tornaram importante fonte de arrecadação para organizações sociais que apoiam as populações mais vulneráveis. No Brasil o maior montante arrecadado em uma live foi durante uma apresentação da dupla Sandy e Júnior. O show fazia parte da campanha Fome de Música, ligado ao projeto Mesa Brasil de distribuição de alimentos pelo país. A dupla arrecadou, segundo levantamento do Fome de Música, R$ 5 milhões, quantia equivalente a mil toneladas de alimentos. Isso graças à Fundação Casas Bahia, que decidiu dobrar e arredondar as doações, que antes da sua ajuda somavam R$ 1,8 milhões, doados pelo público. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/empreendedorsocial/2020/06/lives-levantaram-r-176-milhoes-em-doacoes-durante-a-pandemia.shtml O caminho das doações: O que é feito com o dinheiro arrecadado em lives da quarentena Shows já arrecadaram mais de R$ 7 milhões na principal plataforma de doações. Instituições têm autonomia para decidir onde aplicar dinheiro. No modelo de live adotado por artistas durante a quarentena, eles cantam e fazem estripulias para divertir o público, enquanto pedem doações para instituições que ajudam a combater os prejuízos causados pelo coronavírus. Mas, depois que o show termina, qual é o caminho trilhado pelo dinheiro que foi arrecadado? · As instituições que receberão as doações, a depender do caso, podem ser escolhidas pelo artista ou pelo próprio doador; · Nas principais plataformas de doação, o dinheiro doado segue direto para uma carteira digital da instituição escolhida; · As instituições têm autonomia para decidir de que forma vão aplicar a quantia arrecadada. As entidades passam por um processo de validação, que verifica se os recursos recebidos serão destinados a causas consistentes. Em grande parte dos casos, o dinheiro do público de lives serve para ajudar a manter instituições que já sobreviviam com doações antes da pandemia. Com comércio fechado e eventos proibidos, elas perderam outros meios de arrecadação. Disponível em: https://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2020/05/18/o-caminho-das-doacoes-o-que-e-feito-com-o-dinheiro-arrecadado-em-lives-da-quarentena.ghtml


38 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo