A importância da representatividade no combate ao preconceito racial

Com base na leitura dos textos motivadores apresentados e nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija um texto dissertativo-argumentativo em norma-padrão da língua portuguesa sobre o tema: A IMPORTÂNCIA DA REPRESENTATIVIDADE NO COMBATE AO PRECONCEITO RACIAL - apresentando proposta de intervenção que respeite os direitos humanos. Selecione, organize, e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos na defesa de um ponto de vista.


Texto 1:


A jornalista Maria Júlia Coutinho passará a integrar o time de apresentadores do Jornal Nacional, na escala de fim de semana. O que poderia ser uma notícia corriqueira, considerando-se a competência de Maria Júlia, fomenta reflexões sobre o racismo estrutural e a sub-representação do negro na mídia brasileira. Por que, em 50 anos de existência, esta é a primeira vez que uma mulher negra apresentará o principal telejornal brasileiro? Há naturalidade na percepção de que, constituindo 54% da população brasileira, apenas dois negros (Heraldo Pereira tornou-se âncora em 2001) ocuparam a bancada daquele telejornal? Evidentemente, não. (...) Compreende-se que a presença de pessoas negras na TV (...) cria referenciais positivos da identidade negra e, além disso, a presença da diversidade fomenta também a multiplicidade de olhares e de experiências, trazendo, em muitos casos, visibilidade para pautas que passam despercebidas para outros segmentos, a exemplo da questão quilombola, da luta contra o racismo, da estética, entre outras questões.

http://www.palmares.gov.br/?p=53378, adaptado


Texto 2:

Texto 3:


Nova Ariel negra gera polêmica entre fãs de 'A Pequena Sereia'

Com sua escolha surpreendente, a Disney anunciou que a intérprete do live-action de "A Pequena Sereia" será uma jovem de 20 anos afrodescendente, chamada Halle Bailey.

Nos clássicos, a personagem principal Ariel é ilustrada como uma jovem de "pele clara e delicada como uma pétala de rosa", como já dizia seu criador.

Após o anúncio da atriz, e cantora, selecionada, as opiniões dos fãs do filme se divergiram a respeito de sua cor de pele.

A hashtag #NotMyAriel (Não é a minha Ariel, em português) ficou rapidamente em alta no Twitter, como protesto à escolha de Halle pela Disney.


"Só falta colocar uma atriz loira para interpretar a Tiana de A Princesa e o sapo, que é negra, ou uma ruiva para fazer a Pocahontas", reclama um fã que acredita que a empresa está descaracterizando a personagem Ariel.

Como contraste a essa opinião, outros adoradores do filme demonstraram apoio a intérprete de Ariel ao afirmar motivos consistentes para a escolha da atriz.

"Sereias não existem, são seres mitológicos. Tanto faz ser negra, ruiva, branca, rosa ou azul. Sem contar que o ponto mais importante da Ariel é sua belíssima voz, e isso Halle tem". Afirma uma admiradora favorável à atuação de Bailey no longa.


https://www.meon.com.br/meonjovem/alunos/nova-ariel-negra-gera-polemica-entre-fas-de-a-pequena-sereia



55 visualizações0 comentário