A importância da conservação de patrimônios históricos e culturais brasileiros

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “A importância da conservação de patrimônios históricos e culturais brasileiros”, apresentando proposta de intervenção que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.


Texto 1:


O patrimônio cultural é que nos une


“Quando a gente fala sobre patrimônio, estamos discutindo aquilo que é comum a mim e a você. O que nos une como sociedade”. Com essa frase, Luiz Fernando de Almeida, curador da exposição “A Construção do Patrimônio”, explica a importância dessa discussão no Brasil atualmente. A mostra comemora os 80 anos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), e tenta mostrar o que mudou ao longo dos anos ao se considerar o que deve ser preservado, e a relação entre o patrimônio e a identidade de um povo.

A exposição apresenta a história das políticas públicas de preservação no Brasil e reúne mais de 150 obras, entre documentos raros, quadros e esculturas. No acervo exposto, há obras de Tarsila do Amaral, Mário de Andrade, Lucio Costa, Marcel Gautherot, Germano Graeser, Eric Hess, Oscar Niemeyer, Pierre Verger e uma réplica de Aleijadinho.


Disponível em: https://epocanegocios.globo.com/Vida/noticia/2018/01/o-patrimonio-cultural-e-o-que-nos-une.html#:~:text=O%20patrim%C3%B4nio%20coloca%20a%20ideia,forma%C3%A7%C3%A3o%20social%2C%20o%20mesmo%20territ%C3%B3rio.&text=Patrim%C3%B4nio%20%C3%A9%20o%20que%20nos,divis%C3%A3o%2C%20mas%20da%20nossa%20diversidade.


Texto 2:

O que foi o Ministério da Cultura?

Criado em 1985, no então governo Sarney, o Ministério da Cultura foi um órgão da administração pública responsável pela gestão de políticas culturais do país.

Entre as suas principais atribuições, estavam a proteção do patrimônio histórico, artístico e cultural e a regulação dos direitos autorais. Antes de mais nada, que tal vermos um breve histórico do Ministério?


O Ministério da Cultura ao longo da história

No Brasil, a geração pós-redemocratização se acostumou com a expressão “Ministério da Cultura”. Embora nem todos saibam muito bem quais as competências do Ministério, o fato é que se tornou corrente a ideia de que a política cultural no país desfrute de um órgão especializado, voltado apenas para essa temática. No entanto, nem sempre foi assim.


Ministério da Cultura versus Secretaria da Cultura

Na hierarquia da Administração Pública, os Ministérios são as principais repartições dos governos nacionais. As Secretarias, por outro lado, são subseções dos Ministérios. Por essa razão, as Secretarias, via de regra, não tem interlocução com outros Ministros. Além disso, as Secretarias não tem autoridade simbólica para representar o Brasil na esfera internacional.


Mas há pelo menos outras duas diferenças importantes. Os Ministérios tradicionalmente dispõe de mais recursos do que as Secretarias. Além de uma diminuição no orçamento, a extinção do MinC e a transformação dele em uma Secretaria significam também uma diminuição na autonomia da política cultural do país em relação às outras áreas.

Assim, se a Secretaria Especial de Cultura estiver subordinada ao Ministério do Turismo, por exemplo, pode-se esperar uma ligação maior entre Turismo e Cultura nas políticas culturais do país.


Disponível em: https://www.politize.com.br/secretaria-da-cultura/


Texto 3:




310 visualizações0 comentário